Regulamento SSAP 2016 para o Street Sled e o Classic Sled

Foto: Michael Crestani
 

A SSAP – STREET SLED ASSOCIADOS DO PARANÁ divulgou o regulamento específico para a categoria Street Sled e o Classic Sled em 2016. O calendário oficial será divulgado em breve. Confira nos documentos abaixo todas as informações:

Pg 1 de 4 Regulamento 2016
Versão 1.1
Regulamento Técnico e Desportivo 2016:
O presente regulamento tem como objetivo a padronização das categorias Street Sled e Classic Sled, bem como a segurança dos pilotos participantes, para que a categoria possa alçar vôos maiores participando de grandes eventos de reconhecimento mundial.

I - Sobre o Sled:
Art. 01 -Todo sled deve ser construído de modo a oferecer segurança ao piloto e seus adversários, não podendo conter objetos pontiagudos ou cortantes, nem estruturas que possam tornar- se perigosas em caso de acidente. Todos os elementos devem estar devidamente bem fixados no chassi (shape).

Art. 02 - Os Sleds serão inspecionados pela comissão organizadora, membros da diretoria dessa associação ou por pessoa com a função de inspetor técnico designada pela SSAP, escalado para esse objetivo específico, que irá aprová-los dentro dos padrões específicos de cada categoria e segurança, caso não apto o participante poderá fazer a regularização para adequar a norma, não sendo possível a regularização será vetado a sua participação.
§ 1º - Todo membro da associação tem o dever de inspecionar o equipamento dos participantes da competição e informá-lo das irregularidades (se houver alguma), em caso positivo o piloto terá até 15 minutos antes do início da primeira sessão de treinos para regularização do equipamento, caso não o faça estará automaticamente desclassificado da competição.

Art.03 - Chassi (shape): Deve ser sólido, com um tamanho de acordo com a estatura do piloto. Em caso de sled de madeira, a espessura mínima é de 15 mm. Comprimento de 90 a 150 cm, e largura de 30 cm a 70 cm. As asas de segurança, com a finalidade de evitar que o piloto saia de cima do shape deve ser laterais, uma de cada lado do corpo.

Art. 04 - Eixos: Devem ser de ferro (Aço) maciço de no mínimo 12 mm de espessura e seu tamanho não pode ultrapassar os 70 cm de largura, medido com as rodas montadas e por fora dessas, não precisando ser necessariamente fabricado em peça única, podendo no caso ser utilizados eixos bi-partidos, roletados, ou balancins (trucks);

Art. 05 - Freio: Devem ser eficazes em sua frenagem podendo ser acionados através de manetes no eixo dianteiro ou placas de borracha nos cotovelos do macacão do piloto.

Art. 06 – Rodas: estas terão o tamanho mínimo de 65mm e o máximo de 120mm, com uma área de contato com o solo mínima de 35mm e que se utilizem de rolamentos com as especificações 608 ou 610 (rolamentos comerciais para skate).
§ 1º - para a categoria street sled poderão ser utilizadas um mínimo de QUATRO e um máximo de OITO rodas por sled,
§ 2º - para a categoria classic sled a o equipemanto deverá obrigatoriamente conter QUATRO rodas.

Art. 07 – Peso máximo da categoria street sled é de 25 kg com tolerância de 0,5 kg para o sled em condições de competir, ou seja, dotado de rodas e rolamentos.
§ único - Para a categoria classic sled o peso máximo é limitado a 12 kg com tolerância de 0,25 kg para o sled em condições de competir, ou seja, dotado de rodas e rolamentos.

Art. 08 – O equipamento que não atinja o peso máximo da categoria street sled poderá alcançá-lo por meio de lastros, devendo estes estar fixados ao shape por meio de parafusos ou soldas, ficando vetado o uso de velcro, fitas adesivas ou qualquer outro meio de fixação.
§ único - É vetado o uso de lastros na categoria classic sled.

Art. 09 – Os equipamentos de segurança utilizados pelos pilotos deverão ser:
§1º - Para treinos e competições municipais:
a) Capacete Fechado (full face), devidamente afivelado;
b) Joelheiras;
c) Cotoveleiras;
d) Calça comprida;
e) Luvas;
f) Calçado fechado reforçado;
O uso de macacão de couro em treinos e competições municipais sempre é preferível, o que dispensa a utilização dos itens b, c, d.
§2º - Nas competições de grande porte, nacionais e internacionais os pilotos deverão obrigatoriamente utilizar macacão de couro, exceto nos casos em que o regulamento particular do campeonato dispensar.

II - Sobre o sistema de disputas:

Art. 10 - Serão sorteadas as chaves no dia do Evento. Dependendo do número de competidores, haverá um chaveamento de dois, três ou quatro atletas por largada, dependendo da capacidade da pista. O sistema é de eliminatória, podendo ou não haver o sistema de repescagem. A cada etapa vai afunilando até que sobrem o número de competidores comportados pela pista, que farão a final. Haverá uma segunda final, para a disputa do 5º a 8º para efeito de ranking.

Art.11 – A classificação para a formação das chaves poderá ser feita pelos critérios:
a) Tomada de tempo;
b) Best Rider;
c) Sorteio;

Art. 12 - Sobre a Largada: A partir da linha de largada todo atleta tem liberdade para se impulsionar como desejar, livre de outras regras, no “Cavalo Louco”. Podendo ser também, a critério do organizador, no estilo rampa ou cavalo louco limitado a cinco metros.

Art.13 - Todas as ações antidesportivas serão punidas com a desclassificação ou até mesmo suspensão do atleta, cabendo a SSAP a decisão final sobre o caso.
Este regulamento foi aprovado em assembléia realizada no dia 20 de fevereiro de 2016 e tem vigência iniciada no dia seguinte a sua publicação.
_______________________
Bruno Fernandes de Oliveira
Presidente da SSAP

Fonte: Leonardo Miranda

Comentários